1 de dezembro de 2021

Bahia Política

Sem Meias Verdades

Campanha de conscientização contra a violência doméstica é lançada em Catu

Foto; divulgação

Com o tema: “A Paz do Mundo Começa em Casa”, o município de Catu realizou nesta quinta-feira (21), o lançamento da campanha de conscientização contra a violência doméstica.

O evento, que aconteceu na Câmara de Vereadores, reuniu o Poder Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público, Polícia Civil, Polícia Militar, estudantes do Colégio Estadual Pedro Ribeiro Pessoa e sociedade civil, e contou com a valorosa palestra da Promotora de Justiça e Coordenadora da Comissão Permanente de Combate à Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher – Copevid, Sara Gama Sampaio.

Além de lembrar dos 15 anos da Lei Maria da Penha e apresentar as suas principais alterações de 2019 a 2021, a promotora ilustrou como a violência doméstica vem sendo construída historicamente em nossa sociedade, através de escrituras  e pronunciamentos feitos por pensadores e pessoas que ocupam espaços de poder.

Publicidade

Durante a sua fala, a promotora ainda relembrou a retomada do Grupo Talibã no Afeganistão, neste ano, fazendo com que houvesse um retrocesso em todos os avanços até aqui já existentes para as talibãs.

Atualmente, o Brasil ocupa a 5ª posição no ranking dos países que mais maltratam as suas mulheres. E essa estatística além de gerar prejuízos sociais e morais, gera também prejuízos econômicos, uma vez que ao longo de um ano, cerca de 1 bilhão de reais são investidos para tratar da violência doméstica.

Para acabarmos com esse cenário é preciso que haja um redirecionamento na educação de homens e mulheres, meninos e meninas. Por tanto, as escolas, de acordo com a alterações da Lei Maria da Penha, começarão a tratar sobre o assunto, e, para que haja o fortalecimento da rede de proteção às vítimas da violência, segundo o prefeito Pequeno Sales, presente no evento, lutará para que o município tenha o Centro de Apoio às Mulheres Vítimas de Violência, a Casa da Mulher Brasileira e também um trabalho focado nos homens agressores. “Em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, lutaremos pela implantação do Centro de apoio às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica – CRAM, bem como pela implantação da Casa da Mulher Brasileira, a fim de assegura as mulheres vítimas de violência em nosso município. Mas precisamos principalmente iniciar uma educação aos homens responsáveis por praticarem essa violência”, afirmou Prefeito.

Mulheres vítimas de violência devem discar o 180 e buscar a rede de proteção municipal. (Ascom)

Baixe nosso aplicativo
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
WhatsApp