24 de outubro de 2021

Bahia Política

Sem Meias Verdades

Vereadores prestam queixa contra o prefeito

LOGOMARCA VERMELHA BP

LOGOMARCA VERMELHA BP

Foto; reprodução (Aldo Matos/ Acorda Cidade)

Após o vereador Paulão do Caldeirão (PSC) se manifestar em público na manhã desta quarta-feira (6), na Câmara Municipal de Feira de Santana, denunciando o prefeito Colbert Martins, o político e outros vereadores se deslocaram para o Complexo Policial do bairro Sobradinho, para prestarem uma queixa contra o gestor municipal.

Em entrevista ao Acorda Cidade, o vereador Paulão informou que a procuradoria da Câmara Municipal já está tomando todas as providências, pois, segundo ele, a ameaça foi feita para outros vereadores.

“A procuradoria da Câmara já está tomando as devidas providências e essa ameaça não só foi contra o vereador Paulão, mas teve um plano diabólico para desmoralizar Edvaldo Lima, Lu de Ronny, o vereador Ron, que também foi vítima de fake news há um tempo, e eu sirvo um Deus vivo. Essa senhora é casada, e não sei como, mas acharam que ela tinha algum envolvimento comigo, mas nunca teve. Nós já temos todas as gravações, porque a consciência dela bateu, foi até o meu escritório contar tudo, chega estava branca, da cor de um papel no momento”, declarou.

Foto; reprodução (Aldo Matos/ Acorda Cidade)

Ainda segundo o vereador, este caso aconteceu há cerca de três meses, porém vem percebendo que a residência está sendo monitorada por outras pessoas e se sente com medo de andar só.

“Eu não estou mais andando sozinho porque eu temo pela minha vida e, depois de tudo isso, estou observando carros pretos passando na porta da minha casa, motos sem placas, mas como já informei, eu sou um servo de Deus. Acabei perdendo a minha privacidade, pois a casa está parecendo um Big Brother com tantas câmeras. Nós queremos saber quem está por trás de tudo isso, dessa organização de assédio sexual”, declarou.

Cerca de 13 vereadores estiveram presentes no Complexo Policial. Para o vereador Paulão, esse não é o momento em designar quem é contra e quem é do lado do prefeito.

“Oito vereadores não vieram aqui, porque eu acho que não são pais, mas nesse momento, não é hora para dizer quem está do lado e quem está contra o prefeito. Inclusive, eu até comentei com o vereador Correia Zezito, e ele retrucou dizendo que eu estava querendo provocar alguma coisa. Eu falei com ele que somos pais, temos famílias. Inclusive, teve até um vereador que foi até a casa da mãe do meu filho, solicitando que ela fosse lá pedir emprego ao prefeito, como forma de escandalizar a minha vida”, disse.

Segundo o presidente da Câmara Municipal, Fernando Torres (PSD), a comissão de vereadores esteve no Complexo, em decorrência da preocupação das ações que estão acontecendo dentro da Casa Legislativa.

Foto; reprodução (Aldo Matos/ Acorda Cidade)

“Viemos aqui, cerca de 13 vereadores preocupados com esta situação, porque é desta forma que a prefeitura trata a Câmara, e nisso pode acontecer até coisas piores como tentativas de assassinato, porque essa denúncia envolve o prefeito Colbert Martins, o ex-vereador Irmão Fernando, a principal assessora de Colbert, porque foi ela que esteve lá na casa da mulher para forjar o crime que poderia acontecer, então desta forma, é uma situação gravíssima. Eu mesmo estou preocupado de acontecer comigo, o que pode acontecer também com outros vereadores que, porventura, fiscalizam a prefeitura. Considero como uma quadrilha montada que está disposta a nos prejudicar”, declarou.

De acordo com o vereador Fernando Torres, além das filmagens que comprovam o fluxo de veículos circulando a residência de Paulão do Caldeirão, tem como prova a própria mulher que se arrependeu de fazer a denúncia.

Foto; reprodução (Aldo Matos/ Acorda Cidade)

“A gente tem muito mais além do que filmagens dos carros rodando. Nós temos provas da mulher que iria fazer isso, ela se arrependeu.  Era uma mulher desesperada que estava desempregada e o prefeito tinha prometido um emprego, acabou aceitando, mas logo se arrependeu”, afirmou.

Ainda segundo o presidente da Câmara, as investigações serão de reponsabilidade da Polícia Civil até que seja fechado o inquérito.

“O coordenador da Polícia Civil já está com esse processo, a investigação começa agora, a partir das denúncias, então ele vai pegar todas as provas, sejam orais ou com pessoas, porque eu mesmo posso testemunhar, eu ouvi a conversa e se caso eu for chamado para comparecer aqui, eu irei retornar. Ainda iremos nos reunir na Câmara, não quero tomar nenhuma providência pessoal, estarei junto com os vereadores e ver qual o caminho que será dado. A denúncia aconteceu hoje, mas o caso foi cerca de 90 dias atrás e vamos debater com os procuradores da Câmara”, concluiu.

Procurado pela reportagem do Acorda Cidade, o Coordenador Regional de Polícia, delegado Roberto leal, disse que no momento, ainda não vai se pronunciar. Segundo ele, serão iniciadas as investigações sobre o que foi relatado das denúncias do vereador Paulão do Caldeirão.

O Acorda Cidade solicitou uma resposta do prefeito Colbert Martins sobre as denúncias contra ele apresentadas hoje e aguarda o retorno. (Acorda Cidade)

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
WhatsApp