6 de dezembro de 2021

Bahia Política

Sem Meias Verdades

Técnicos da Sesau de Camaçari se reúnem com mães de autistas para definir fluxo de atendimento

Foto; reprodução (Ascom)

Agilizar, acolher e criar um fluxo de atendimento inserindo toda a rede e a família. Essa é a proposta da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), para atender as crianças com autismo em Camaçari. Para definir esse novo modelo de atenção e diagnóstico, uma comissão de mães de autistas se reuniram com o vereador Gilvan Souza e técnicos de diversas áreas da Sesau. O encontro foi realizado na tarde de quinta-feira (11/11), no auditório do Centro de Referência em Inclusão Escolar (CRIE).

O diálogo, teve como objetivo a aprovação do fluxo da rede de atenção a pessoa com autismo e crianças com atraso no sistema neuropsicomotor. Em encontros anteriores, com o vereador Gilvan Souza e o secretário de Saúde, Elias Natan, as mães relataram que vão em vários setores e não conseguem atendimento ou encaminhamento dentro da rede. Para solucionar o problema, o titular da Sesau designou técnicos de referência da área para criação e validação de um método de acolhimento e procedimentos.

Publicidade

Atualmente, existe 200 famílias em espera para diagnóstico e inserção na rede. A proposta da Secretaria de Saúde é de criar um fluxo que zere a demanda e amplie a capacidade de atendimento. “A Sesau através do secretário Natan e dos técnicos se mostram muitos sensíveis ao nosso pleito e estão dando uma resposta satisfatória para esse grupo. Eu sei da angústia da espera e as dificuldades que as famílias de pessoas com deficiência enfrentam, mas posso garantir que o nosso mandato e o governo tem trabalhado para garantir um atendimento de qualidade e referência”, garante o vereador Gilvan.

A Coordenadora da Atenção Especializada e Ações Estratégicas, Sheila Mello, explica que que a mobilização terá continuidade com a inserção de representantes da comissão de mães no grupo de trabalho da Sesau. “A validação do fluxo é para que a gente direcione toda a rede e venha fortalecer para que a criança e família tenha acesso à assistência qualificada desde a identificação de atraso no desenvolvimento neuropsicomotor e acesso oportunamente terapias e avaliação médica ( neuro, pediatra) o mais precocemente possível, além de divulgar ferramentas que auxiliem as mães e cuidadores para que a gente tenha um olhar diferenciado”, anuncia.

Uma nova reunião está marcada para o dia 25 de novembro, quando será compartilhado o status da avaliação da fila de espera e demais ações pactuadas. Participaram da reunião, a Coordenação de Políticas Transversais e Ciclos de Vida, a Coordenação de Saúde Especializada e Ações Estratégicas, a Coordenação de Saúde Mental, a gerência do CER II, do CAPSi e os técnicos de referência dos setores. (Ascom)

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
WhatsApp