3 de julho de 2022

Bahia Política

Sem Meias Verdades

Salvador registra primeiros casos de H3N2; SMS faz alerta para vacinação contra gripe

Foto; Myke Sena/ MS

Salvador registrou dois casos de Influenza A (H3N2) nesta terça-feira (30). As ocorrências foram identificadas na região de Itapuã e acenderam um alerta para a Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Nesta quarta (1º) o secretário da pasta, Leo Prates, usou como exemplo o Rio de Janeiro, que registra um surto de Influenza A, para fazer um apelo que a população se vacine contra a gripe.

Em uma tentativa de evitar um surto, a capital baiana solicitou na semana passada à Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) e Ministério da Saúde 100 mil doses extras da vacina da gripe. O objetivo é evitar que a cidade passe por situação parecida com a vivida pelo Rio de Janeiro. Na ocasião, a SMS informou que o saldo residual da vacina ainda em estoque no município seguia sendo ofertado para o público com idade igual ou superior a seis meses em postos de saúde espalhados por toda a cidade, de segunda a sexta-feira (exceto feriado), das 08h às 16h.

Até a sexta-feira (26), a cobertura vacinal em Salvador era de 58% da população que compõe o público alvo estimada em mais de 721 mil pessoas.

“O Rio de Janeiro viu um surto muito grande de Influenza, gripe, as pessoas estão há um ano e meio sem conviver. Os hospitais do Rio estão cheios, porque mesmo não tendo óbitos, mas uma gripe depois e um ano e meio sem ficar doente, usando máscaras, é muito forte”, alertou Leo Prates nesta quarta.

O secretário da Saúde de Salvador chamou atenção especial para as crianças e pediu que os pais levem os filhos até os postos para vacinarem contra a gripe. O apelo se estende aos idosos e gestantes.

Além disso, Leo Prates sinalizou que Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, já vem identificando uma procura maior por atendimentos nos postos de saúde.

Por fim o secretário reforçou a necessidade da população seguir se protegendo com o uso de máscaras de forma correta, cobrindo o nariz e a boca, além de higiene correta das mãos, e distanciamento social. (Bahia Notícias)