Crise entre México e Braskem agrava futuro da petroquímica no país, diz jornal

Foto: Jutan Araújo/ Bahia Política

Nos últimos dias, a crise entre o governo do México e a Braskem Idesa, controlada pela Braskem, se agravou ampliando as incertezas sobre o futuro do complexo petroquímico inaugurado em 2016 no estado de Veracruz. As informações são do jornal Valor Econômico.

Cumprindo a ameaça que vinha sendo feita há algum tempo, o presidente Andrés Manuel López Obrador anunciou o cancelamento do contrato de fornecimento de etano firmado entre Pemex e Braskem Idesa, na esteira de denúncias de corrupção e alegações de que o acordo é imoral.

Publicidade

Mas a rescisão do contrato pode obrigar a estatal mexicana a comprar o complexo, que recebeu US$ 5,2 bilhões em investimentos.

Em nota enviada ao BNews, a Braskem esclarece que o contrato de fornecimento de etano no México, assinado pela Braskem Idesa, permanece em vigor e válido. A empresa reforça o seu compromisso na busca de soluções construtivas para o suprimento de etano, que permitam seguir produzindo, gerando empregos e renda no país e contribuindo para a balança comercial mexicana.