Produção Mineral Baiana Comercializada tem crescimento de 34% em junho


ERO Copper – Mineraçåo Caraiba Copper Mine

A Produção Mineral Baiana Comercializada (PMBC) teve um crescimento de 34% em junho, em relação ao mesmo mês de 2020. A comercialização saiu de R$ 448 milhões no ano passado, para R$ 602 milhões em 2021. Entre os principais bens minerais produzidos estão o Cobre, Ouro e Níquel, as informações estão no Sumário Mineral da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE). 

Jacobina, Itagibá, Juazeiro, Jaguarari, Caetité, Andorinha, Barrocas, Nordestina, Brumado e Paramirim são os principais municípios da Bahia com participação na PMBC. “A mineração é um setor importante da nossa economia, principalmente para as cidades do interior do Estado, e a tendência é que novos investimentos sejam aportados e também novas empresas cheguem a Bahia para atuar na mineração. Isso impulsionará ganho significativo na receita desses municípios e o estado está fortemente dedicado na conclusão da FIOL pois este será um dos principais meios de escoamento da produção mineral do nosso estado”, afirmou o titular da SDE, Nelson Leal. 

Leal lembrou ainda que, somente de janeiro a junho, o Ministério de Minas e Energia recebeu quase 1.200 requerimentos para pesquisa, e o Ministério aprovou 979 alvarás de pesquisa. Ainda nesse mesmo período, a exportação de ouro ficou na casa dos U$ 202,86 milhões de dólares, a de Cobre em U$ 157,58 milhões de dólares, e a de Vanádio em U$ 57,42 milhões de dólares. 

Ferrovia Oeste Leste  

O Governo da Bahia atuou ativamente para retomar a obra, de responsabilidade da União, por entender a importância do equipamento para o desenvolvimento econômico do estado. 

O trecho 1 já tem mais de 80% concluído, com previsão de conclusão em 24 meses. Com o trecho 2, que chegará até Barreiras, a ferrovia funcionará como um corredor de escoamento de minérios do sudoeste baiano e da produção agrícola que vem do Oeste, levando toda esta carga para o Porto Sul, uma das principais obras estruturantes realizadas pelo Governo da Bahia. Com a construção da Ponte Salvador-Itaparica, outra grande obra estruturante do estado, o acesso entre a capital e o porto terá ainda redução de 100km no trajeto. 

A Fiol tem uma relação direta de dependência com o Porto Sul, localizado no distrito de Aritaguá, em Ilhéus, que está sendo constituído através de uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) firmada entre o Estado da Bahia e a Bamin. A ferrovia irá transportar a produção de minérios e de grãos até o porto para que as cargas sejam distribuídas. 

Fonte: Ascom/ SDE



Fonte

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on print
Print

Relacionado Posts

NOAR
Open Popup
Whatsapp do Bahia Política