24 de fevereiro de 2024

Bahia Política

Sem meias verdades

Prefeitura inicia requalificação do Elevador Lacerda

Foto; Lucas Moura/ Secom PMS

Cartão-postal de Salvador e um dos meios de transporte mais emblemáticos da cidade, o Elevador Lacerda passará por obras de restauração e requalificação promovidas pela Prefeitura. O prefeito Bruno Reis assinou nesta quarta-feira (13) a ordem de serviço para o início das intervenções, cujo principal objetivo é resgatar características originais do equipamento, que vai oferecer mais conforto para os cerca de 22 mil usuários diários que o utilizam para se deslocar entre as Cidades Alta e Baixa.
O projeto, elaborado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), prevê melhorias estruturais nos saguões que abrigam as quatro cabines dos elevadores, abrangendo desde implantação de sistema de climatização até nova pintura, iluminação, revestimentos das paredes e do piso, assim como soluções para otimizar o fluxo de passageiros. Além disso, toda a parte elétrica e mecânica do ascensor passará por manutenção.
Durante o evento de assinatura da ordem de serviço para as obras do Elevador Lacerda, os Correios lançaram o selo em homenagem aos 150 anos do monumento turístico que simboliza a importância da mobilidade urbana, assim como a riqueza cultural da capital baiana.
A emissão traz a fotografia panorâmica do Elevador Lacerda capturada do alto da cidade. Para formar a imagem, foi usado um se-tenant, isto é, quando selos diferentes unidos entre si intencionalmente formam um conjunto. O método traz o simbolismo de unir em dois selos a Cidade Alta e a Cidade Baixa, conectadas pela estrutura monumental.
“Esse talvez seja um dos principais símbolos da nossa cidade. O Elevador Lacerda completou 150 anos de existência no último dia 8 de dezembro e terá sua história ainda mais preservada. A Prefeitura vai investir R$11 milhões, em recursos próprios, em toda a restauração e recuperação do equipamento. Serão colocadas cabines climatizadas, mais modernas e mais ágeis para facilitar o deslocamento da população”, destacou Bruno Reis.
“A obra terá prazo de 10 meses, e a gente já começa as intervenções agora. Em alguns momentos, iremos alternar o funcionamento dos elevadores existentes. Caso seja necessário interditá-los, faremos que isso aconteça no menor tempo possível”, acrescentou.
Uma das novidades previstas no projeto será a liberação das varandas situadas nos espaços laterais do acesso da Cidade Alta, na Praça Municipal. Para isso, a sorveteria A Cubana, instalada no Elevador Lacerda desde o final da década de 1930 e que ainda hoje é uma referência ligada ao monumento, será realocada para o hall de acesso onde atualmente funciona o Centro de Informações ao Turista.
Isso permitirá resgatar o caráter original de varanda aberta dos espaços laterais, ao mesmo tempo em que vai melhorar o fluxo de movimento dos usuários do elevador. Além disso, a Prefeitura também criará bilheterias próximas às entradas, tanto na Praça Municipal quanto no Comércio, onde os passageiros poderão fazer o pagamento da tarifa para embarcar no elevador. A ideia é evitar a formação de filas longas nas catracas, sobretudo nos horários de pico e em períodos de alta demanda.
“Haverá um sistema de bilhetagem moderno que permitirá a utilização de outros meios de pagamento, inclusive o Salvador Card. Tudo isso para facilitar a vida das pessoas e modernizar realmente o equipamento”, explicou o secretário de Mobilidade (Semob), Fabrizzio Muller. Ele pontuou que não há previsão de aumento da tarifa após a conclusão das obras. O Elevador Lacerda transporta mais de 20 mil pessoas diariamente, e o valor da taxa de embarque é de R$0,15.
Infraestrutura – O projeto de restauração e requalificação do Elevador Lacerda envolverá ainda a atualização técnica da infraestrutura (ar-condicionado, elétrica, sistema de segurança e contra incêndio, entre outros), associada a um tratamento estético que reduza ao máximo o impacto visual e do espaço interno do ascensor.
Dessa forma, os forros do teto serão substituídos por soluções técnicas de menor interferência, enquanto os revestimentos terão materiais de alta resistência e durabilidade. O piso das estações será em granito marrom antiderrapante.
Já o saguão da estação Cidade Baixa terá novas clarabóias e paredes revestidas parcialmente com painéis em azulejos artesanais na cor branco. No passadiço e estação da Cidade Alta do elevador, as paredes receberão pintura acrílica na cor bege claro, além de esquadrias substituídas por um novo sistema que faz referência às composições originais de 1930, porém, agora com caixilhos de alumínio com pintura branca e venezianas móveis de vidro, que poderão ser abertas para permitir a ventilação natural.
O nome “Lacerda”, existente desde 1930 no topo da fachada do edifício voltado para a Praça Municipal, será restaurado e adequadamente iluminado. Na Cidade Baixa, por sua vez, serão criados novos gradis metálicos sobre as três portas de acesso, com as palavras “Entrada”, “Lacerda” e “Saída”.
Esses gradis adotam uma linguagem leve que faz referência aos mesmos materiais instalados em 1930, apresentando uma tipografia que emula aquela utilizada na arquitetura déco. Todas as intervenções estruturais serão executadas pela Superintendência de Obras Públicas (Sucop).
“O que a Prefeitura está fazendo, na verdade, é recuperar características e arquitetura originais do elevador, quando ele foi ampliado em 1930. Tivemos que fazer um estudo da história deste monumento, analisar como ele foi pensado. Nos debruçamos sobre todas as documentações desde a construção de 1873 até hoje. Fizemos um estudo detalhado de toda a história do Lacerda para poder traçar o melhor projeto”, declarou Tânia Scofield, presidente da FMLF.

Siga Bahia Política  no Facebook  , no Twitter e também  no Instagram. Faça parte do nosso grupo no WhatsApp se preferir entre em nosso canal no Telegram.