19 de outubro de 2021

Bahia Política

Sem Meias Verdades

Lula escolhe senador Jaques Wagner para disputar governo da BA – Poder360

editado por Fernando Rodrigues
Ex-presidente acerta apoio do PT à reeleição do senador Otto Alencar (PSD) e pode levar Rui Costa para o ministério

28.ago.2021 (sábado) – 8h54

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acertou que o senador Jaques Wagner será o candidato do PT ao governo da Bahia em 2022. Lula também definiu que o partido vai apoiar  Otto Alencar (PSD) na busca pela reeleição ao Senado. O acordo foi selado durante a passagem do petista por Salvador, última etapa de sua maratona pelo Nordeste. Lula visitou 6 dos 9 Estados da região.
A chapa ainda não está fechada. Dirigentes do PT ainda cogitam um candidato a vice do Progressistas. A reunião que selou a pré-candidatura de Wagner ao governo baiano ocorreu na última 5ª feira (26.ago) e contou com a presença de Lula, Otto Alencar, João Leão e Rui  Costa.
Embora continue dizendo que ainda não decidiu ser candidato a presidente, Lula usou a viagem justamente para fazer alianças para fortalecer a candidatura petista em 2022 e, ao mesmo tempo, minar as chances de 2 candidatos com especial interesse na região: o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-governador Ciro Gomes (PDT), que divide votos da esquerda com ele, em especial no Ceará.
O governador baiano, Rui Costa, que está terminando o 2º mandato, não deve disputar nenhum cargo. Costa ambicionava ser presidente nacional do PT, mas Lula sinalizou que pretende dar-lhe um cargo no governo.

O senador Otto Alencar afirmou que mesmo que o PSD tenha candidato a governador, ele estará no palanque de Jaques Wagner. Liderado pelo ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, o PSD tem estado cada vez mais próximo da provável candidatura Lula.
Wagner, que já foi governador da Bahia por 2 mandatos (2007-15), disse que a disputa pelo cargo máximo do Executivo baiano se dará entre ele o ministro João Roma (Republicanos), deixando de lado o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM), que tem liderado algumas pesquisas de intenção de voto.
A entrada de Roma na disputa significa um duplo revés para ACM Neto. Até fevereiro, Roma era homem de confiança do ex-prefeito. Com o aval deste, participou da articulação para eleger Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara, contra Baleia Rossi (MDB-SP), que havia sido escolhido pelo então demista Rodrigo Maia (sem partido-RJ), que deixava o cargo e tentava fazer seu sucessor.
Em seguida, Roma recebeu convite do presidente Jair Bolsonaro para liderar o Ministério da Cidadania e aceitou, contrariando a vontade de ACM Neto –e provocando um afastamento entre os dois. Se em 2022 Roma bater ACM Neto na disputa por uma vaga no 2º turno da eleição para governador, a carreira política do neto do ex-governador Antonio Carlos Magalhães vai sofrer um baque.
Poder360
por Poder360
por Poder360
por Equipe Poder360
por Guilherme Waltenberg
por Poder360
por Tiago Angelo
por Poder360
por Tiago Angelo
por Equipe Poder360
por Gabriella Soares
por Guilherme Waltenberg
por Poder360
por Poder360
por Caio Spechoto
por Caio Spechoto
por Tiago Mali
por Patrícia Nadir
por Caio Spechoto
Compartilhe
editado por Fernando Rodrigues
Exemplo: [email protected] Para enviar para mais de uma pessoa, separe os endereços por vírgulas.
2021 © Todos os direitos Poder360.

source

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
WhatsApp