MPF quer que Joaquim Neto devolva R$ 262 mil aos cofres públicos

Segundo a denúncia, o contrato fraudulento foi firmado com o objetivo de contratar transporte escolar para o município.

Foto: Reprodução/ ronaldoleitenews

Prefeito de Alagoinhas, Joaquim Neto (PSD) virou alvo do Ministério Público Federal por supostas fraudes cometidas enquanto ainda era prefeito de Sátiro Dias, também na Bahia.

Publicidade – Duas lojas em Barra do Pojuca, loja no Alto da Cruz e no Jardim Limoeiro em Camaçari.

Em pedido formulado à Justiça, o promotor Eduardo da Silva Villas-Bôas afirma que o prefeito, junto de empresários, montou um esquema que teria se apropriado de verba pública federal.  Segundo a denúncia, o contrato fraudulento foi firmado com o objetivo de contratar transporte escolar para o município, pelo valor de R$ 1,3 milhão. Depois, o mesmo contrato sofreu seis aditivos, tendo seu valor acrescido em quase R$ 300 mil.

A peça foi encaminhada à Justiça no começo do mês passado e aguarda decisão do juiz.